A gastronomia e o turismo em Guarapuava, por Leila Pires

Públicado em 29/04/2019
Imprimir
Leila Pires

Leila Pires
Graduada em Tecnologia em Gastronomia pela Faculdade Guairacá
Especialista em Gastronomia pela Faculdade Guairacá
Coordenadora do Projeto Caminhos do Malte pela Secretaria de Turismo de Guarapuava

 

O turista busca conhecer novos lugares, novas culturas, divertir-se e entreter-se com passeios e atividades. Não conseguimos pensar em turismo sem pensar em gastronomia: eles são companheiros!

Segundo o Ministério do Turismo, “a gastronomia é muito importante para 89% dos turistas brasileiros e 97% dos estrangeiros”. Além de oferecer lazer aos viajantes, traz grandes possibilidades de transações para os empreendedores do segmento.

Aqui em Guarapuava, região serrana da terra dos pinheirais, existe uma cultura muito própria, miscigenada e rica de detalhes. Com traços de diversos grupos de imigrantes, criou-se um formato diferenciado e amplo de saberes e sabores, que vão desde remontar as origens rurais e agrícolas, passando pelos tropeiros, chegando até as raízes indígenas. Temos a cultura suábia, bem divulgada pela Colônia Entre Rios nas deliciosas tortas alemãs, o tradicional “Eisben” (joelho de porco) e a rica culinária húngara, acompanhados de uma bela cerveja.

Resgates desses pratos e de outros da nossa cultura estão sendo feitos pela Secretaria de Turismo em parceria com a Faculdade Guairacá. No Caminho de São Francisco da Esperança, aonde o turista vem para conhecer o Salto de 196m, já estão sendo servidos nas propriedades os ‘pratos rurais’ como paçoca de carne, carne de porco de lata, patê de torresmo, bolo de mandioca e muito mais, uma deliciosa volta ao passado.

Outro projeto dessa parceria foi o Outono Gastronômico em 2018, onde o vencedor Chef Tales Pacheco trouxe uma releitura do nosso prato típico ‘quirera com carne de porco’, com o nome ‘Quirera Desconstruída’.

Em 2019, novamente estamos neste resgate alimentar de pratos em nossa cidade. O Inverno Gastronômico vai levar ao público 16 pratos com histórias da nossa cidade e região.

E como finalizar sem citar o crescimento de nossas cervejas artesanais, com mais de trinta estilos e marcas, presente nos mais diversos eventos guarapuavanos apoiados pelo Projeto Caminhos do Malte, já que por lei estadual, Guarapuava é a capital paranaense da cevada e do malte, e também, está na rota estadual da cerveja artesanal, criada por lei estadual.

Dessa forma, estamos colocando Guarapuava na rota do turismo brasileiro, conseguindo que este turista entre e conheça a nossa cidade.

Os exemplos citados mostram que a gastronomia como produto turístico é um importante motivador e mesmo quando não é o principal motivo e/ou elemento, sempre estará inserida no contexto e terá o seu papel de destaque num evento turístico, como viagens, passeios, feiras ou qualquer compromisso que o traga à cidade.

Pode-se concluir que a gastronomia é muito importante e relevante para o turismo e possibilita inúmeras oportunidades para todos aqueles que souberem explorar esse nicho de mercado, direta ou indiretamente, por este motivo a importância de conhecer e estudar mais sobre alimentação e turismo.

0 Comentários

Os comentários estão fechados.