Aumenta o número de casos de sífilis, por Cristiani Marchiore

Públicado em 22/09/2017
Imprimir

A sífilis é uma IST (Infecção Sexualmente Transmissível) que infecta 5,6 milhões de pessoas ao ano segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde). Dados do Ministério da Saúde revelam que de 2010 a 2015 houve aumento de 5.000% em número de casos da doença. O mais agravante é que o uso indiscriminado de antibióticos tornou as bactérias mais resistentes ao tratamento. Caso não seja tratada pode causar demência, má formação no caso de fetos e cegueira.

A transmissão da sífilis é sexual e se dá pelo contato com feridas nos genitais, ânus, boca ou outras partes do corpo de pessoas infectadas, e também, pela transmissão materno-fetal.

A apresentação principal da sífilis adquirida pode ter três tipos, sendo primária, secundária e latente. A primária se caracteriza pela presença de lesão ulcerada na região genital, que pode desaparecer em alguns dias o que leva a pessoa acreditar que está curada. Após seis a oito semanas do aparecimento da primeira lesão, na fase secundária, há o aparecimento de lesões pelo corpo, palmas das mãos e pés. No período latente, o paciente não tem sintomas, porém transmite a doença. Nos casos mais graves da doença, após anos de sífilis latente não diagnosticada, pode-se fazer um quadro de sífilis terciária com manifestações neurológicas.

Para descobrir se possui a doença existem exames de laboratório e testes rápidos que em 10 minutos ficam prontos. Ao observar os sintomas do período inicial da doença deve-se procurar atendimento nas Unidades Básicas de Saúde. A doença tem cura e o tratamento mais indicado para cada fase será indicado.

Assim como em outras doenças, a prevenção é o melhor remédio. O uso de preservativo masculino ou feminino é a única forma de prevenir a sífilis adquirida. Já a sífilis congênita é tratar a mulher durante o pré-natal, assim como seu parceiro, para evitar reinfecção da gestante. Portanto, sexo seguro SEMPRE!!!

 

Cristiani Marchiore
Graduada em Enfermagem pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO)
Especialista em Administração Hospitalar pelo Instituto de Estudos Avançados e Pós-Graduação (ESAP)

0 Comentários

Aumenta o número de casos de sífilis, por Cristiani Marchiore