Evento na Guairacá traz reflexões sobre o Dia Internacional da Síndrome de Down

Públicado em 22/03/2018
Imprimir
síndrome de down

Em 21 de março comemora-se o Dia Internacional da Síndrome de Down. Em alusão à data, o Colegiado de Pedagogia da Faculdade Guairacá promoveu um bate-papo com reflexões sobre o tema.

O encontro foi organizado pelas professoras Carla Maria de Schipper e Dayane Santos Silva Dalmaz, a fim de conscientizar a todos sobre o que é e como lidar com a síndrome e, principalmente, fortalecer a luta pelos direitos das pessoas com deficiência. “Esse é um dia de comemoração e de luta, não só da família, mas de todos. É um dia de reconhecer que as pessoas com Síndrome de Down precisam de um atendimento especial e de lutar para que tenham uma vida melhor”, apontou Dayane.

Estiveram presentes no evento as pedagogas do Ceebja (Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos) Ana Paula Quintiliano e Lizandreia Pauluk, a Presidente da Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Guarapuava Márcia Cristina Faria, os alunos da Apae Adriano Adria e Amir Karam, o aluno do Ceebja Fabio Paulovicz de Toledo, além de alguns familiares.

Através de instituições especializadas, portadores de Down têm acesso a uma rede de apoio, com profissionais que trabalham com o objetivo de desenvolver cada indivíduo de forma integral. A Presidente da Apae de Guarapuava explicou que lá os alunos são estimulados desde cedo a uma vida autônoma. “A Apae compreende um centro de saúde, onde são ofertados serviços de fonoaudiologia, psicologia, ecoterapia, hidroterapia e serviço social. Assim, trabalhamos saúde, educação e prevenção, com alunos e com a família”. É o que também acontece no Ceebja. A pedagoga Lizandreia afirmou que, através de uma proposta pedagógica inclusiva, os professores trabalham com atendimentos especializados para minimizar as limitações e desenvolver o potencial desses alunos especiais. “No Ceebja temos uma preocupação muito grande com os conteúdos imprescindíveis que o aluno com Down precisa ter para se desenvolver em sociedade e ir para a próxima etapa do aprendizado”.

Na ocasião, os acadêmicos de Pedagogia da Faculdade Guairacá puderam conhecer a trajetória de algumas pessoas com Síndrome de Down, como o Amir, que mostrou ser um grande exemplo de autonomia. Sua irmã, Nuhar Karam, esteve presente e deixou uma mensagem inspiradora aos futuros profissionais de Pedagogia. “Vocês vão ter um papel importantíssimo na vida de muitas pessoas portadoras da Síndrome de Down, assim como o Amir. Por isso, coloquem amor e responsabilidade naquilo que fazem, isso fará com que vocês consigam enxergar novos horizontes. É disso que o mundo precisa”.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

*