Febre amarela: transmissão e prevenção, por Jair Kultz Junior

Públicado em 05/03/2018
Imprimir
Jair

Os macacos são vulneráveis ao vírus e a quantidade de mortes e a velocidade com que isso tem acontecido é preocupante. Nesta situação, das duas uma: sobrarão os macacos mais resistentes ao vírus ou restarão os vírus menos virulentos (pois o vírus também depende do hospedeiro para a sua manutenção e aquele vírus que mata deixa de se reproduzir no macaco morto). Entretanto, como as populações e grupos de primatas são pequenas e fragmentadas (ameaçadas de extinção), infelizmente, é esperada como consequência muitas extinções locais.

A medida mais importante para prevenir e controlar a febre amarela é a vacinação da população. Os seres humanos são mais resistentes ao vírus (foi o homem quem introduziu o vírus nas Américas), podem funcionar como reservatórios resistentes, aumentando a circulação do vírus entre regiões e ambientes silvestres, e podendo até levar o vírus ao ambiente urbano novamente. Nos macacos, este surto de febre amarela de fato é uma tragédia.

Febre amarela

Vacinar as pessoas na área de risco, principalmente aquelas que estão em contato com a floresta, é uma medida preventiva que protege a população humana, mas que também pode reduzir a circulação e a transmissão do vírus para os primatas.

Devemos salientar que o município de Guarapuava não está em área de risco, por isso a população não deve se preocupar e correr para tomar a vacina, somente aqueles que irão viajar a passeio ou a trabalho para áreas de risco. Outra coisa importante é que quem vai tomar a vacina deve fazer isso pelo menos 10 dias antes da viajem, para que o sistema imunológico da pessoa responda e produza os anticorpos contra o vírus da febre amarela.

 

Jair Kultz Junior
Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Centro-Oeste
Especialista em Manejo Sustentável do Meio Ambiente pela Universidade Estadual do Centro-Oeste
Especialista em MBA em Gestão do Conhecimento na Educação Superior pela Faculdade Guairacá

 

Febre amarela

Fonte: https://www.ultimosrefugios.org.br/single-post/febreamarelaAureo
Ministério da Saúde – SUS

0 Comentários

Febre amarela: transmissão e prevenção, por Jair Kultz Junior