Humanização das organizações, por Elem Lustosa

Públicado em 19/02/2018
Imprimir
Humanização das organizações

Diante do cenário mundial em que reina o “capitalismo selvagem”, uma discussão bastante necessária é a humanização nas empresas. Uma organização humanizada é caracterizada por uma prática que atende não somente as necessidades empresariais como lucro, qualidade, competitividade, redução de custos, mas atende também as necessidades das pessoas que nela trabalham.

A falta de sensibilidade com relação ao próximo é um problema atual da nossa sociedade e o administrador, como um gestor de negócios e pessoas, não pode deixar este tema de lado e priorizar apenas eficiência e lucros. Administradores podem ser líderes que estão à frente das empresas, daí a importância em se trabalhar nessa perspectiva em sala de aula com nossos acadêmicos, justamente porque são eles que podem ter a possibilidade de desenvolver essa cultura nas organizações no futuro.

Quando trabalhamos a humanização visamos práticas que valorizam as pessoas e tornam o ambiente de trabalho mais aconchegante e engajador. Um exemplo disso é a empatia, pois quando nos colocamos no lugar de outra pessoa praticamos o exercício de estar nas condições dela e não apenas ser legal com ela.

Precisamos pensar em ambientes de trabalho melhores para as pessoas e quando inserimos um pouco de carinho, alegria e satisfação o produto não pode ser algo negativo. Portanto, vamos aderir à essa cultura!

 

Elem Lustosa
Graduada em Administração pela Universidade Estadual do Centro-Oeste
Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual do Centro-Oeste
Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas pela Universidade Estadual do Centro-Oeste
Especialista em Educação Especial pelas Faculdades Integradas do Vale do Ivaí
Especialista em Educação do Campo pela Universidade Estadual do Centro-Oeste
Especialista em MBA em Gestão do Conhecimento na Educação Superior pela Faculdade Guairacá
Mestre em Educação pela Universidade Estadual do Centro-Oeste

0 Comentários

Humanização das organizações, por Elem Lustosa