Acontece na UniGuairacá

42. 3622-2000 Frequentes na Uniguairacá

Homeopatia e alopatia, você sabe o que são esses dois termos? Por Luciana Alves de Camargo

13/04/2021 09h00

Homeopatia e alopatia são diferentes ciências, formas de tratamentos das enfermidades. Diferem em filosofias, conceitos e aplicações, no entanto, o objetivo é o mesmo: curar a enfermidade e reestabelecer a saúde ao paciente. Ambas são aliadas à promoção da saúde. 

Vamos começar pela alopatia, também denominada de terapia tradicional. Teve início na Grécia Antiga, baseava-se na medicina Hipocrática e teve sua aplicabilidade amplamente difundida por Claudio Galeno, denominado como “o pai da alopatia”. A alopatia é a terapia que a grande maioria das pessoas, e esse pode ser o seu caso, usa com frequência. Quando você vai à farmácia de dispensação e lá adquire um antitérmico, um antiinflamatório ou um antibiótico, todos esses produtos promovem o tratamento pelo método da alopatia. Esse tratamento baseia-se no que denominamos “o princípio do contrário”. Como exemplo, vamos nos ater a um produto campeão de vendas,  o nome já diz bastante sobre ele, frequentemente  usamos um “ANTI”  “INFLAMATÓRIO”, ou seja um medicamento que tem atividade contrária à enfermidade que nos maltrata, e como maltrata. 

Desta forma, a alopatia neutraliza ou elimina os sintomas apresentados, sem combater a causa específica que originou aquele quadro. Nesses casos, a manifestação clínica da doença pode voltar a acontecer, sobretudo em virtude de desequilíbrios causados entre corpo e mente, que são causa de grande parte das doenças e não são o foco da terapia médica e farmacológica tradicional. A alopatia é imediatista e baseia-se no atendimento coletivo, corta o desconforto de forma rápida, aliviando o sofrimento.

Já a homeopatia, estabelecida mais modernamente pelo médico alemão Samuel Hahnemann, apresenta uma diferença filosófica bem específica. Baseia-se no “princípio dos semelhantes”, promovendo a cura de uma doença por meio de medicamentos que causam sintomas parecidos com os que o paciente apresenta. Isso faz com que o corpo potencialize sua capacidade curativa e seja capaz de combatê-los por si só.

O tratamento tanto médico como farmacológico, baseado nos princípios homeopáticos, busca tratamento individualizado, levando em conta uma série de fatores da vida do paciente – como traumas de infâncias, hábitos alimentares, percepção de mundo, etc – para compreender a origem do desequilíbrio do organismo que resultou no aparecimento de uma doença.

Ambos os tratamentos alopáticos e homeopáticos possuem sistema científico definido, com princípios específicos e metodologia de pesquisa própria que comprovam a sua eficácia para a promoção da saúde, podendo também em grande parte dos casos serem utilizados de forma complementar, uma vez que diversas doenças não são curadas apenas combatendo seus sintomas. O uso de ambas, alopatia e homeopatia, podem ser utilizadas de forma integrativa, nesses casos, o benefício da homeopatia é evitar que a doença volte após a interrupção do tratamento alopático, uma vez que o primeiro combate a causa do problema, enquanto o segundo trata seus sintomas. 

10 de abril é o Dia Mundial da Homeopatia e aniversário de Samuel Hahnemann, “o pai da homeopatia”.