Responsabilidade Social

';
42 99102-2239 Frequentes na Uniguairacá

A UniGuairacá tem como missão formar profissionais com excelência acadêmica e forte caráter humanístico e instruir a comunidade escolar a engajar-se na institucionalização de uma sociedade justa, solidária e fraterna. O trabalho social é um dos fundamentos da instituição, incentivando os alunos à formação humana.

É com este compromisso que a UniGuairacá desenvolve ao longo do ano várias ações gratuitas nas áreas de educação, saúde, cultura, meio ambiente, dentre outras. Além da aplicação de projetos de ação contínua, como a Academia da Terceira Idade, a Brinquedoteca Hospitalar e os Jogos Lúdicos na Ala Psiquiátrica do Hospital Santa Tereza, a UniGuairacá também realiza ações pontuais de Responsabilidade Social, em que alunos, professores, coordenadores e funcionários se unem para levar ajuda, material e humana, à comunidade.

Confira os projetos mantidos pela instituição:

O projeto Ela Empreendedora foi idealizado visando ampliar a rede de atendimento à mulher vítima de violência, para a busca de autonomia econômica através de capacitação para inserção no mercado de trabalho. Tem como foco o despertar de suas habilidades, objetivando fortalecê-la para romper o ciclo da violência e para resgatar sua dignidade, a fim de que possa exercer seus direitos de maneira efetiva e, principalmente, para que tenha o controle de sua vida e de seu destino.

Trata-se do primeiro projeto pensado para a vítima de violência doméstica no âmbito judiciário e a UniGuairacá, enquanto instituição de ensino e pautada em sua missão e responsabilidade social, oferece oficinas e minicursos para vítimas moradoras de Guarapuava, cujos dados são disponibilizados pelas parcerias com as varas penais do judiciário de Guarapuava e pela Secretaria da Mulher da Prefeitura Municipal de Guarapuava, apoiado pelo Sebrae no âmbito do empreendedorismo e pelas empresas que demandam a mão de obra capacitada, construindo assim uma rede de atores na atuação para minimização da vulnerabilidade social.

O projeto envolve discentes e docentes nas capacitações e a instituição de ensino disponibiliza toda sua estrutura para tal fim. Com base nos dados quantitativos, Guarapuava hoje possui 612 mulheres que fizeram denúncia de violência doméstica, destas, 242 mulheres que fazem parte das políticas públicas da Secretaria da Mulher de Guarapuava aderiram ao projeto, ressaltando que elas escolheram o tipo de curso que gostariam de fazer e no período de 8 meses 110 foram capacitadas, 10% foram empregadas e 136 mulheres foram demandas para contratação para o Shopping Cidade dos Lagos que inaugurará em março de 2018.

Com a divulgação do projeto ainda obteve-se a adesão de mais empresas parceiras para a contratação. O projeto foi apresentado no FONAVID (Fórum Nacional de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher) em novembro de 2017, tendo a oportunidade de propagar para vários Estados do Brasil essa prática.

O projeto é ofertado gratuitamente para crianças carentes do município de Prudentópolis, para vivências práticas e teóricas sobre lutas, artes marciais e esportes de combate. Também tem como objetivo a integração dos acadêmicos de Educação Física Bacharelado e Licenciatura no desenvolvimento de conhecimentos sobre a temática.

O público reúne crianças carentes da periferia, crianças de classe média e crianças do SOS Prudentópolis (Casa Lar), para que todos aprendam a vivenciar as diferenças sociais existentes.

São atendidas aproximadamente 30 crianças, que são divididas em 2 turmas, uma no período da manhã e outra no período da tarde duas vezes por semana e utilizam o espaço da Academia Malharte de Prudentópolis.

Uma parceria da UniGuairacá vem proporcionando aos jovens do projeto Pelotão Esperança qualificação social e profissional através da inclusão digital. Eles participam de aulas de informática nos laboratórios da instituição.

O projeto Pelotão Esperança iniciou seus trabalhos em 1998. Os alunos permanecem por no máximo dois anos e, durante esse período, participam de várias atividades no contraturno escolar. Essas atividades têm como objetivo propiciar melhores condições de vida, trabalhando a sua autoestima, incentivando-os à adoção de um comportamento disciplinado e incrementando a sua sociabilidade e o companheirismo.

A UniGuairacá é parceira do projeto. Segundo a professora Regiane Orlovski, que coordena as atividades na instituição, a informática tem se apresentado não apenas como uma ferramenta de auxílio no desenvolvimento de tarefas, mas sim como uma tendência à nível de mundo, interferindo em todas as áreas do conhecimento, em especial no desenvolvimento escolar. “Com o intuito de aproximarmos o aluno do universo da informática, durante as aulas são aplicados conteúdos contextualizados, num processo de construção de conhecimentos, ampliação de informações e sistematização de reflexões através da produção de textos no computador, tendo uma mescla de teoria e prática”.

São atendidos adolescentes de 12 a 14 anos de idade, em aulas semanais de uma hora de duração.

 

O trabalho da Educação Física em projetos sociais mostra-se importante para a sociedade e para futuros profissionais da área.

Acredita-se que a Educação Física, enquanto área de conhecimento, é essencial para questões voltadas à reabilitação física e mental por meio de atividades lúdicas e atividades físicas. Nesse sentido é que se recorre a projetos sociais que oportunizam tanto o aperfeiçoamento profissional dos acadêmicos, quanto em uma maior qualidade de vida à diversos setores da sociedade.

Esse projeto objetiva, portanto, oportunizar aos acadêmicos dos cursos de Educação Física Licenciatura e Bacharelado da UniGuairacá a vivência de atividades profissionais voltadas à área da saúde. O projeto atende o CAPS II do município de Prudentópolis, que abriga usuários de drogas e álcool que lá se encontram em busca de tratamento. Duas vezes por semana são atendidos cerca de 20 pacientes.

Alterações como perda da força muscular, diminuição da flexibilidade, da agilidade e da coordenação fazem parte do processo natural do envelhecimento, mas esses aspectos podem ser amenizados através da prática regular da atividade física.

O Programa da Terceira idade é desenvolvido desde 2008 pelo Colegiado de Educação Física, oferecendo aos idosos um espaço para realização de exercícios físicos sistematizados e supervisionados com o intuito de minimizar as perdas funcionais ocasionadas pelo envelhecimento e pelo sedentarismo. Atualmente são mais de 150 participantes, que recebem também assistência dos cursos de Enfermagem, Fisioterapia, Psicologia e Serviço Social. As atividades são programadas pela manhã, duas vezes por semana.

Dentro do Programa, também são desenvolvidas ao longo do ano uma série de eventos, como a Semana da Melhor Idade, um um evento já tradicional, realizado todos os anos pelas Clínicas Integradas Guairacá, conforme explicou a Coordenadora Administrativa, Bianca Raquel Garcia Pereira. “Preparamos uma semana inteira de atividades para comemorar junto. Esse é um momento preparado especialmente para fortalecer a autonomia e o envelhecimento saudável, para reforçar os vínculos familiares e comunitários, além de prevenir o isolamento social e aumentar a autoestima dos participantes”.Alterações como perda da força muscular, diminuição da flexibilidade, da agilidade e da coordenação fazem parte do processo natural do envelhecimento, mas esses aspectos podem ser amenizados através da prática regular da atividade física.

O Programa da Terceira Idade na Igreja Santana iniciou em março de 2016. Trata-se de um projeto de extensão que oferece à população idosa de Guarapuava, residentes nas regiões do bairro Santana, atividades físicas supervisionadas e orientadas para a promoção da saúde e qualidade de vida. As atividades são abertas à comunidade, sendo em sua totalidade gratuitas. Os encontros acontecem três vezes por semana no ginásio de esportes da Paróquia Igreja Santana, atendendo uma média de 40 idosos. As atividades são desenvolvidas duas vezes por semana, das 8h às 9h.

Além dos encontros para prática de exercícios físicos, ao longo do ano em alguns momentos são realizadas outras atividades como palestras sobre temas como envelhecimento, alimentação, doenças crônicas degenerativas, hipertensão, além de questões na área do serviço social.

A prescrição dos exercícios, bem como a intensidade e volume de treinamento, são de responsabilidade do professor Marcos Vinicius Soares Martins. A aplicação dos exercícios e avaliações tiveram contribuição da professora e fisioterapeuta Hilana Rickli Fiuza Martins e acadêmicos do curso de Educação Física Bacharelado. Os idosos são avaliados periodicamente no início e fim de cada semestre ao longo do ano.

A Brinquedoteca Moitará funciona como projeto de extensão nas dependências da UniGuairacá Centro Universitário desde 2006. Sua criação reflete o reconhecimento de uma demanda: a necessidade de um espaço educativo-interativo voltado especificamente para crianças, devido ao número expressivo de acadêmicos e professores da instituição necessitando de suporte com seus filhos pequenos, principalmente em semanas de avaliação. Por isso, o projeto nasce com o objetivo de propiciar, a partir de um espaço lúdico, interações sociais e educativas saudáveis entre adultos e crianças, contribuindo para o desenvolvimento pleno da infância.

O termo “Moitará”, que inspirou o nome da brinquedoteca, tem origem indígena e significa “troca”, e foi escolhido como símbolo do que pretende-se realmente inspirar: a “troca de saberes”. Em função disso, buscou-se a fomentação de interações sociais a partir de brinquedos e brincadeiras educativas, como jogos didáticos e livros de histórias, dispostos num espaço detalhadamente organizado para estimular a imaginação das crianças.

Essa preocupação em ensinar a partir do universo lúdico da infância deve-se ao reconhecimento de que uma das principais características dessa fase é a curiosidade, em razão disso a brinquedista, responsável pela supervisão do espaço, media as brincadeiras, mas sem intervir no processo natural de interação livre e criativa entre os participantes.

Desse modo, a brinquedoteca é uma forma de colocar em prática o que defendemos ser de direito da criança: o direito à brincar, como aponta a Convenção dos Direitos da Criança, de 1989; a Constituição Federal, de 1988; e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), de 1990.

O sucesso do projeto “Brinquedoteca Moitará”, desenvolvido nas dependências da UniGuairacá, gerou ainda mais frutos. Atualmente, encontra-se expandida no projeto “Brinquedoteca no Hospital”, que funciona no hospital Santa Tereza, de Guarapuava. A motivação de beneficiar ainda mais crianças e humanizar esse ambiente, no qual muitos pacientes – entre eles crianças – carecem de subsídios lúdicos para lidarem com as adversidades da hospitalização, foi a força motriz para o andamento do projeto, que teve sua fase de planejado entre os anos de 2007 e 2008, e a fase de execução e implantação em 2009. Ainda, pensando em melhorar as relações de mediação entre a “brinquedista” e os internados, o curso de pedagogia da UniGuairacá, responsável pelo projeto, estimula seus acadêmicos a participarem na prática dos processos e vivências do ensino e aprendizado para além da sala de aula, garantindo, em contrapartida, o acesso das crianças hospitalizadas ao universo lúdico das brincadeiras, jogos e livros.

O projeto GAMA é um grupo de apoio multifamiliar a adoção. O objetivo do projeto é planejar, organizar e executar um programa de atenção psicológica às pessoas envolvidas no processo de acolhimento, destituição familiar e adoção. 

No ano de 2021 o grupo Gama, realizou 21 encontros de preparação para adoção – Habilitação, que são obrigatórios para aqueles que desejam realizar a adoção de crianças e adolescentes, completando na sexta-feira dia 9/9/21 o fim do quarto ciclo de habilitação, cada um com 5 encontros preparatórios com temas pré-estabelecidos.   

Convênio com o Tribunal de Justiça do Estado do Paraná:

Através do reconhecimento de boas práticas realizadas pelo projeto Gama (UNIGUAIRACA) no que tange a parceria com a Vara de infância e juventude da comarca de Guarapuava há mais de 14 anos, no ano de 2021 foi firmado convênio de ampla cooperação com o TJPR para realização de preparação psicossocial e jurídica para o processo de adoção. O Convênio tem validade de 60 meses a contar da data de sua publicação em diário oficial.            

Uma parte importante dos trabalhos do grupo Gama é divulgar sua experiência em eventos científicos de caráter nacional e internacional. Os encontros Gama acontecem sempre às sextas-feiras às 19h.

Desde julho de 2020 os atendimentos ocorrem de forma online via plataforma google meet. A certificação é realizada pela Vara da Infância e Juventude da comarca de Guarapuava.