Acontece na UniGuairacá

42 99102-2239 Frequentes na Uniguairacá

Histórias que inspiram: primeiro paciente da Policlínica Guairacá relata sua melhora em doença progressiva

Casemiro Reinaldo Barbosa, de 69 anos, já faz parte da história da Policlínica Guairacá.

Por: Poliana Kovalyk

- 14/05/2024 10h57

Desde 2011, a Policlínica Guairacá tem sido um ambiente de cuidado e otimismo para Casemiro Reinaldo Barbosa, de 69 anos, um paciente que lida corajosamente com a distrofia muscular fácio-escápulo-umeral, uma doença progressiva e sem cura.

Residente em Prudentópolis, Casemiro foi encaminhado para a instituição devido às melhores condições em tratamentos completos e especializados. No local, ele recebe atendimento em fisioterapia neurofuncional, cardiorrespiratória e hidroterapia.

A professora Ana Paula Tartari destaca a importância do paciente para a clínica. “É um paciente que já faz parte da história da Policlínica Guairacá, e para nós é um prazer imenso tê-lo com a gente. Além de buscarmos continuamente melhorar sua qualidade de vida, sua presença nos proporciona uma oportunidade valiosa de aprendizado sobre a distrofia que ele enfrenta”.

A aluna Bruna Maria Moreira Camargo, que recentemente assumiu os atendimentos de Casemiro, compartilha sua experiência. “É muito prazeroso trabalhar com o Sr. Casemiro. Desde o meu primeiro ano na faculdade, sempre o vi por aqui. Ele é uma pessoa extremamente carismática e possui um profundo entendimento sobre sua própria condição médica. Ele compartilha seu conhecimento, o que é muito valioso, já que estamos constantemente estudando diversas patologias”.

Apesar dos desafios pela sua condição médica, Casemiro ressalta os benefícios do tratamento que recebe na Policlínica Guairacá. “Minha doença é progressiva, mas a fisioterapia tem sido fundamental. Graças a ela, tenho tido uma melhor qualidade de vida nesse período. Eu poderia estar acamado, mas tenho cerca de 80% da minha independência. Me visto sozinho, subo no carro, consigo me virar na cama. Mantenho minha função neurológica, meu pensamento e minha sensibilidade. A única dependência é da cadeira de rodas devido à fraqueza na cintura, mas minhas pernas ainda estão fortes”.

Ele destaca ainda a qualidade do atendimento recebido ao longo dos anos. “Durante todo o tempo em que estive aqui, os estagiários sempre me atenderam com muita qualidade. Isso é reflexo do corpo docente da faculdade, que trabalha em conjunto para garantir um alto padrão na formação dos estudantes. E, com isso, conseguimos alcançar uma melhor qualidade de vida”.

A Policlínica Guairacá não apenas oferece tratamento, mas também um ambiente acolhedor e familiar para Casemiro. “A clínica traz esperança. Eu vi muitos chegarem aqui caídos e saírem completamente recuperados. E mesmo para aqueles como eu, que não têm perspectiva de recuperação, a qualidade de vida ainda é melhorada”. E expressou sua gratidão. “O atendimento e o acolhimento, desde a Direção até o corpo docente, são feitos com tanto carinho, como se fôssemos parte da família deles”.
 

teste