Acontece na UniGuairacá

42 99102-2239 Frequentes na Uniguairacá

Câncer de Pele, por Mariane Maria Silveira Vieira de Lima

É o câncer mais frequente no Brasil e corresponde a cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados no país.

25/10/2021 17h21

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o Câncer de pele melanoma, se dá nos melanócitos sendo mais frequente em adultos com fototipo de pele mais baixo, ele por sua vez, pode surgir em qualquer parte do corpo, na pele ou nas mucosas, em forma de manchas, pintas ou sinais. O câncer de pele no Brasil é o mais frequente entre os diversos tipos de cânceres, que chega em aproximadamente 30% dos acometidos cerca de 185 mil novos casos por ano, sendo que o melanoma representa em torno de 3% das neoplasias malignas do órgão, sendo a mais grave podendo provocar metástase (INCA, 2020).

Estimativa de novos casos no Brasil: 8.450, sendo 4.200 homens e 4.250 mulheres (2020 - INCA).

Número de mortes no Brasil:  1.978, sendo 1.159 homens e 819 mulheres (2019 - Atlas de Mortalidade por Câncer - SIM).

Antes mesmo de chegar no estágio final que é o Melanoma, podemos verificar seus estágios de evolução denominadas como carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular e por fim o melanoma. Sendo evoluções denominadas como carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular:

O Carcinoma Basocelular (CBC)- sendo o estágio inicial, surgindo nas células basais que estão nas camadas mais profundas da camada epidérmica, havendo uma grande taxa de cura se houver um reconhecimento e tratamento precoce. Essas lesões ocorrem principalmente nas orelhas, face, pescoço, couro cabeludo, ombros e na região dorsal, percebe-se que as áreas expostas ao sol são mais predominantes, porém áreas menos expostas também podem ser acometidas de forma rara (SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA, 2020).

O Carcinoma Espinocelular (CEC)-  é a forma intermediária, manifestando-se nas células escamosas as quais constituem maior parte das camadas da pele. Esta forma de lesão também pode ser mais comum em áreas expostas ao sol, como pescoço, face, couro cabeludo e orelhas, os homens são mais acometidos por este tipo SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA, 2020).


Para identificação você pode usar a regra do ABCDE

 


Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia (2020).

PREVENÇÃO:
-Fazer uso de chapéus ou bonés quando houver a exposição ao sol;
-Procurar usar diariamente e a reaplicação do protetor solar  pelo menos 3 vezes ao dia;
-Evitar se expor ao sol entre os horários das 10 às 16:00 horas;
-Qualquer mancha, verruga ou lesão na pele procurar o médico para avaliação e tratamento.