A toxina botulínica e seu uso na Odontologia, por Danyelle Zimmer

Públicado em 07/05/2018
Imprimir
Toxina Botulínica

A toxina botulínica, também conhecida como botox®, é um dos procedimentos mais populares no Brasil, especialmente para o tratamento de rugas e marcas de expressão. Entretanto, ela ainda gera muitas dúvidas e opiniões divergentes sobre sua ação, riscos e resultados.

 

A origem do Botox

A toxina é na verdade, uma substância causada por uma espécie de bactéria, chamada Clostridium botulinum, daí o nome botulínica. Ela começou a ser estudada na década de 80 e se tornou muito popular em clínicas estéticas, sendo liberada até para o tratamento de estrabismo, nos Estados Unidos. Em 2002, foi aprovada para uso estético e a partir daí se difundiu.

Como a toxina botulínica age?

A toxina botulínica funciona como uma espécie de paralisante, bloqueando a passagem de estímulos nervosos enviados do cérebro para o músculo, diminuindo ou paralisando completamente sua contração. Desta forma, ele suaviza as chamadas rugas dinâmicas, ou seja, aquelas que só aparecem quando há movimento muscular.

 

Para o que ela é indicada?

O procedimento é mais conhecido mesmo para a suavização de rugas e esta é sua principal indicação. Porém, ela é muito mais específica. Entre as rugas mais indicadas estão as entre as sobrancelhas, pés de galinha e as linhas horizontais na testa.

Mas o tratamento também pode ser utilizado para muitos outros fins. Um exemplo é a utilização para o tratamento de deformidades faciais, como paralisias do nervo facial, paralisias pós AVC e em diversas patologias onde conseguimos através de técnicas específicas harmonizar a face do paciente promovendo saúde e bem-estar.

Alinhada juntamente com o tratamento odontológico, pode atuar refinando o trabalho do cirurgião dentista na correção de sorriso gengival. Sorriso gengival é aquele onde a pessoa expõe de maneira fisiológica muita porção da gengiva além dos dentes, o que confere a pessoa uma aparência de maxila longa, desarmônica.

Outros usos da toxina são para Cefaléias Tensionais, distúrbios da ATM, a Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial, que consiste em dores nos maxilares, cabeça e rosto, geralmente causadas por tensão e bruxismo. Neste caso, a aplicação pode ajudar a relaxar os músculos da face, desfazendo a tensão e, consequentemente, aliviando a dor e até mesmo solucionando dores de cabeça. Também pode ser usada como tratamento complementar do ronco e apnéia, quando aplicada na região nasal.

 

E quais são os riscos?

Muito se fala sobre os riscos do uso da toxina botulínica, como maus resultados e reações do corpo. Tais riscos, por outro lado, só são reais e preocupantes em caso de profissionais desqualificados. Como qualquer outro procedimento, estético ou não, a toxina deve ser aplicada apenas por profissionais qualificados e com experiência.

Além disso, a substância é segura e completamente absorvível pelo corpo, sendo todos os seus efeitos reversíveis e não causando intoxicações.

 

Danyelle Blanski Zimmer
Graduada em Odontologia pela Universidade Estadual de Ponta Grossa
Especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilo Facial

 

0 Comentários

A toxina botulínica e seu uso na Odontologia, por Danyelle Zimmer