Acontece na UniGuairacá

42 99102-2239 Frequentes na Uniguairacá

O corpo adolescente, por Daiane Grando

Precisamos valorizar o corpo em movimento, o brincar, o jogar e a prática de esportes.

29/03/2021 14h38

A adolescência é uma fase caracterizada pela construção de identidade e busca por pertencimento social. O corpo adolescente é um corpo em transformação, as mudanças físicas são perceptíveis e a preocupação com a aparência pode ocasionar conflitos relacionados à imagem corporal e impactar na saúde e bem-estar desses indivíduos, pois, “os corpos vão sendo cautelosamente excluídos devido a peso, altura, força ou agilidades insuficientes” (COUTO; GOELLNER, 2012, p. 193).

O adolescente muda suas marcas corporais, se distancia das referências familiares, experimenta novas referências corporais, muda a cor do cabelo, a forma de vestir e também quer mudar sua forma física, começa a frequentar academias, quer ficar forte, magro, bonito, “padrão”, ou até mesmo quer fugir do padrão.

A busca por referências corporais pode impactar positivamente ou negativamente. Positivamente quando ocorre uma mudança de hábitos, um distanciamento do comportamento sedentário, como maior prática de atividades físicas e exercícios. É negativa, quando a meta é o corpo irreal, ilusório, quando fazem dietas “malucas” e exercícios em excesso, quando o descontentamento com a imagem afeta as relações sociais.

É importante destacar que todas as experimentações corporais que o adolescente teve na infância vão impactar positivamente na sua visão de mundo e de corpo, para que tenha menos conflitos em relação à sua imagem. Precisamos valorizar o corpo em movimento, o brincar, o jogar, a prática de esportes, pois a educação física é crucial para a formação do sujeito, para que este passe a “amar seu corpo”, se aceitar, gostar de si.

 

Referências
COUTO, Edvaldo Souza; GOELLNER, Silvana Vilodre (orgs). O triunfo do corpo: polêmicas contemporâneas. Rio de Janeiro: Vozes, 2012.